MPF denuncia Vale por destruição de Áreas de Preservação Permanente

Intervenções da Vale em Áreas de Preservação Permanente (APP) provocaram danos ambientais que levaram o Ministério Público Federal a propor uma Ação Civil Pública contra a Vale e a União. Mais um conflito provocado pelas obras de duplicação dos pátios de cruzamento da Estrada de Ferro Carajás. Na petição do MPF, escreve-se que "a Vale destruiu e ocupou irrregularmente as APP, sem a devida autorização do IBAMA".

 A ação decorre de autuação da Vale feita pelo IBAMA por infração à legislação ambiental. Pede-se a condenação da Vale e da União (por ser a concedente da EFC à Vale e por isso co-responsável) ao "pagamento de uma indenização pecuniária e à realização de ações de recomposição florestal na área atingida ou caso não seja possível em outra de igual tamanho".
Veja, em anexo, a íntegra da petição inicial da Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público Federal.

 

Anexo Tamanho
Representação MPF sobre Dano Ambiental duplicação.pdf 2.5 MB

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante ou um spam.
8 + 8 =
Solve this simple math problem and enter the result. E.g. for 1+3, enter 4.
desenvolvido por casa de bits.