Barcarena (PA)

Moradores denunciam poluição causada por vazamento na Hydro

segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018
965 visualizações

Fonte: Diário Online (DOL)

Na madrugada do sábado (17), algo que já era previsto por moradores e já havia sido denunciado pelo DOL começou a ocorrer: o rompimento de barragens de rejeitos da Hydro, em Barcarena, região nordeste do Pará.

Há meses, o advogado Ismael Moraes já informava que mais de vinte bacias teriam sido construídas na área para receberem rejeitos químicos estariam causando problemas ambientais. Com as chuvas dos últimos dias, as bacias ultrapassaram sua capacidade e não foram mais suficientes para conter as substâncias, em especial bauxita, podendo causar um grave quadro de contaminação na cidade.

Os moradores denunciam que ela pratica irregularidades territoriais, ambientais e sociais, inclusive discriminação nas comunidades de Jesus de Nazaré, Burajuba, Água Verde e Jardim Canaã, onde moram quase 5 mil famílias.

Entre as denúncias mais graves está a de que a Norsk Hydro construiu um depósito de resíduos numa Área de Proteção Ambiental (APA), que é protegida por lei e onde existem comunidades remanescentes de quilombos. Na época, a Hydro negou todas as denúncias.

Diante da grave situação em Barcarena, o advogado Ismael Moraes informou que ao longo da semana tomará uma providência jurídica denunciando o caso de poluição e contaminação provocado pela empresa norueguesa. Foto: Via WhatsApp

A polêmica sobre a criação de tais barragens e a presença da Hydro em Barcarena já foi tema de sessão especial na Câmara dos Vereadores do município, protestos de moradores e até mesmo notícia na imprensa norueguesa, como em um dos principais jornais do país, o Dagens Naeringsliv (DN) divulgou no domingo. “Alerta vermelho na Hydro no Brasil”, dizia a manchete.

Além de descrever as ações dos moradores, com o bloqueio das vias de acesso e  queima de árvores na estrada, a matéria do DN revela que os cidadãos exigem do grupo norueguês compensação por danos ambientais, denunciando a contaminação da água potável e os prejuízos gerados pela produção da alumina à saúde das pessoas.

Segundo a reportagem, para cada quilo de alumínio derretido na Noruega, quatro quilogramas de lodo vermelho são armazenados em Barcarena. O aterro se estende por uma área cada vez maior e, quando o tempo está seco, a cidade fica coberta por grandes nuvens de poeira vermelha. A reportagem do DN revela que as manifestações, que se intensificaram a partir de agosto, tiveram como mote a reação à contratação de mão-de-obra externa. Enquanto a Hydro mantém algumas das maiores fábricas do Brasil no município, Barcarena sofre com altos índices de desemprego, reforçando a percepção de que a população arca com os prejuízos e não recebe nenhum benefício em troca.

 

Resposta da Hydro

Em nota, a Hydro Alunorte informa que não ocorreu qualquer anormalidade nos seus Depósitos de Resíduos Sólidos, em Barcarena, neste sábado (17/02/2018). Apesar do volume de chuva excepcional que incidiu sobre a região entre os dias 16 e 17 de fevereiro, superior a 200mm, em aproximadamente 12 horas, segundo registros da empresa Climatempo, não houve qualquer transtorno nos depósitos de resíduos sólidos da refinaria.

A água da chuva foi canalizada para as bacias de sedimentação e direcionada, posteriormente, para as estações de tratamento de efluentes industriais. Na Hydro Alunorte, toda precipitação pluviométrica é coletada e tratada antes de ser devolvida ao rio. O tratamento de água segue os critérios da Resolução nº 430/2011 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), que inclui parâmetros de lançamento como: pH, temperatura, turbidez entre outros.

De fato, a incidência de chuva excepcional observada entre os dias 16 e 17 de fevereiro na área de Barcarena, ocasionou um volume extraordinário de água pelas ruas da cidade. Como grande parte dessas ruas não possuem pavimentação, a água ganha um tom avermelhado em função do tipo de solo característico da região. Esse mesmo volume de chuva pode ser percebido nas ruas internas da refinaria, o qual foi gradativamente absorvido pelas estações de tratamento de água da Hydro Alunorte.
Toda a água utilizada na refinaria Alunorte é tratada na sua própria instalação de tratamento de água antes de ser enviada ao rio. As análises de água da Hydro Alunorte em Barcarena são realizadas por laboratórios certificados pelo INMETRO e seguem valores de referência estabelecidos pelos Padrões Regulatórios Brasileiros sob “Especificação NBR 10004-2a Ed (31/05/2004) Anexo F). Conforme atestado pelo monitoramento, não existe qualquer ligação entre as atividades da Hydro Alunorte e uma suposta contaminação da água na área de Barcarena.

1 Comentário

  1. Cath disse:

    O governo do Pará determinou que a mineradora Hydro AluNorte forneça água potável para os moradores das comunidades afetadas pelo vazamento de resíduos tóxicos de um depósito da empresa, localizado em Barcarena, região metropolitana de Belém, no último fim de semana.

Deixe o seu comentário!