Atropelamento

Acidente envolvendo trem da Vale deixa dois feridos

quarta-feira, 15 de março de 2017
965 visualizações

Na última segunda-feira, 13 de março, duas pessoas se feriram quando tentavam atravessar a ferrovia Carajás, no município de Alto Alegre do Pindaré (MA). O trem da empresa Vale encontrava-se estacionado nas proximidades, quando uma mulher e seu filho passavam por debaixo do trem, nesse momento o trem deu partida atingindo os dois. No acidente ocorrido entre as Vilas Fufuca e Vila Davi, a mãe perdeu um dedo e a criança teve um dos braços amputado.

Moradores interditam a ferrovia em protesto.

Segundo relatos dos moradores, as vítimas foram hospitalizadas na cidade de Santa Inês (MA), e seguem se recuperando. O acidente provocou protestos dos moradores, que interditaram a ferrovia, por dois dias, solicitando passagens seguras para o tráfego de pessoas. Funcionários da Vale estiveram no local e se comprometeram a construir uma passarela iniciando as obras em abril. Após acordo os moradores encerram a manifestação.

A Estrada de Ferro Carajás (EFC) corta 24 municípios maranhenses e causa inúmeros transtornos à população que reside ao longo da via-férrea. Segundo a rede Justiça nos Trilhos, houve uma média de oito atropelamentos por ano, entre 2006 e 2013. O ano de 2007 registrou o maior número de casos, no total 23 pessoas morreram atropeladas por trens operados pela Vale, no corredor de Carajás.

Faltam passagens seguras

O trem de carga da Vale S.A possui 330 vagões, com extensão total de 3,3 quilômetros. Muitas comunidades que estão próximas a ferrovia se queixam pela falta de passagens seguras, e alegam que são obrigadas a passarem por debaixo do trem inúmeras vezes, devido a este ficar parado por horas impedindo a passagem dos moradores.

Com 892 quilômetros de extensão, a EFC possui 725 pontos em que há passagem de pessoas, animais e/ou veículos, no entanto possui um número baixo de travessias seguras, o que propicia acidentes na ferrovia.

Em 2016, a empresa Vale foi condenada a pagar indenização por danos morais à família de um homem, morto em 2009 num acidente envolvendo um dos trens da empresa, no Povoado de Olho D’água dos Carneiros, em Santa Inês.

Por Mikaell Carvalho

Leia mais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *